• Clara Ramos

Descomplicando a moda consciente: entenda o que é e como aplicar na sua vida

Primeiro precisamos entender o que é o famoso consumo consciente, definido pelo Ministério do Meio Ambiente é consumir com consciência voltada para a redução de impactos negativos, tanto no meio ambiente quanto no ambiente político e social.


Toda atitude que temos gera algum impacto por menor que seja, quando tomamos consciência desses impactos e o que eles podem gerar na vida do planeta, começamos a entender a importância de mudar pequenos atos do dia a dia. Somos responsáveis por tudo que causamos ao nosso planeta, sabendo ou nãos sobre os danos causados, fechar os olhos não faz com que a situação desapareça, e quando temos noção do impacto podemos começar a tomar alguma atitude para mudar.


"o consumo consciente é uma contribuição voluntária, cotidiana e solidária para garantir a sustentabilidade da vida no planeta"

MMA


Muitas pessoas acham que quando falamos sobre consumo consciente estamos apenas falando de produtos sustentáveis ou eco-friendly, porém essa atitude se estende a ter consciência daquilo que se compra. Isso significa saber de onde veio, quem fez, como chegou até ali, se esses processos foram feitos de maneira que proporcionava boas condições de trabalho e por aí vai.


Essa prática não busca atingir apenas um nicho específico de pessoas, ela busca uma mudança global para fazer efeito no máximo de gente possível. Mas sabemos que ainda existe o estigma de que produtos sustentáveis ou pelo menos mais conscientes tem a fama de serem mais caros, principalmente ao vivermos uma cultura do consumo que impõe que consumir deve ser um ato contínuo e automático. Precisamos colocar tudo na balança e ver qual é o real valor agregado de todo o ecossistema de marca.



Primeiro passo: se informe e pesquise as empresas


Nosso primeiro passo rumo à essa conscientização é nos informar, hoje em dia com a internet nos dando acesso a muita informação, que antes não tínhamos sobre as empresas, fica mais fácil saber sobre os detalhes que realmente nos interessam na hora de consumir com responsabilidade.


Quando você se vê precisando consumir algo pode pensar em procurar a melhor empresa que te oferece esse produto ou serviço, buscando informações sobre a marca conseguimos pensar melhor se vale nosso dinheiro ou não. Às vezes você paga 10 reais mais caro mas apoia uma empresa familiar que depende dessa empresa para seu sustento, ou então você pode procurar mais antes de comprar por impulso e acabar achando uma marca que valoriza e apresenta sua mão de obra interna, isso te envolve em toda uma história.



Segundo passo: cobre posicionamento


Na moda essa transparência ainda está chegando, não é toda marca que se dispõe a se expor para os consumidores, a maioria se esconde atrás de grandes produções e lookbooks, e esquece de falar sobre seus processos e sobre quem realmente faz as peças.


Temos que admitir que não é a maioria das marcas que age com consciência em sua cadeia produtiva (desde a compra da matéria prima até a venda, passando por produção e transporte), geralmente essas marcas maiores visam o lucro acima de tudo, então entendemos o por quê dessa falta de transparência. Porem hoje em dia nós, consumidores, estamos nos tornando cada vez mais agentes co-criadores das marcas, hoje mais do que nunca a opinião e experiência do cliente conta para que a imagem da marca continue "limpa".


Cobrar esse posicionamento é muito importante para que a gente dê visibilidade a quem merece, o Fashion Revolution lançou a tag #quemfazminhasroupas exatamente com esse intuito, de cobrar dar marcas de moda uma transparência que até então não existia.



O que você pode fazer na hora de consumir itens de moda


Vamos ao checklist! É uma boa ideia para ver se a marca vale a sua compra ou se você está apoiando algo que não condiz com seus ideais.


Se pergunte:

  • Essa marca é de onde? Será que ela produz suas roupas em território brasileiro?

  • Os materiais são de qualidade? Será que existem opções mais ecológicas ou conscientes?

  • Será que as colaboradoras recebem de acordo com suas funções? E as condições de trabalho?

  • Se ela revende peças, de onde vem essa roupa? Será que a produção é consciente?

  • Será que os processos (de produção, transporte, e até venda) são pensados para serem realizados da maneira mais sustentável possível?

  • Essa marca já se envolveu em escândalo de mão de obra escrava?

  • O dono da marca tem discurso fascista, racista ou machista?

  • Existe inclusão nessa empresa? É apenas discurso ou é uma atitude constantemente presente?

  • A marca se posiciona de qual maneira perante acontecimentos internos que geram repercussão?

  • Será que existe uma empresa local que oferece esse mesmo serviço e que eu possa apoiar?


São alguns dos questionamentos que podemos fazer antes de consumir qualquer item necessário no dia a dia,


Podemos substituir a compra em uma empresa quadrada que não liga para o bem estar do cliente mas que vende barato, pelo produtor local que vende um pouco mais caro mas que usa matéria prima de qualidade e realiza um atendimento personalizado e humanizado. Ás vezes o barato pode sair caro, né?


E sem falar que ao apoiar o comércio local fazemos a economia local girar também, isso é essencial para que todo mundo possa fazer parte desse sistema. Por mais gente como a gente fazendo acontecer!



O que você pode fazer para ressignificar a moda?


A moda consciente não é apenas sobre consumo, ela é sobre reutilização e ressignificação também. A atitude mais sustentável e consciente dentro da moda é utilizar de tecidos que já foram roupas para criar novas peças e novas maneiras de usar.


A reutilização de lixo têxtil também é uma atitude muito importante, visto que o setor de vestuário e acessórios é um dos mais poluentes no mundo inteiro. No mundo cerca de 150 milhões de peças de moda são produzidos todo ano, pelo menos 30% não são vendidas e são descartadas para não tomar espaço das próximas peças, as vezes são queimadas ou então vão para aterros. Esse modelo atual de fast fashion é insustentável, menos de 1% de todo material utilizado para produzir as roupas é reciclado ou reutilizado para fazer novas roupas, se continuarmos assim podemos não ter mais planeta com natureza em 2050.


O upcycling está em alta por todo o mundo, e sempre esteve em alta no Brasil, onde a moda chega mais tarde e a personalização sempre teve voz nas produções de moda locais. Tenho certeza que você já utilizou dessa técnica mesmo sem saber direito o que é.


Pensamos em fazer um post falando mais sobre o upcycling e suas técnicas, o que vocês acham? 🤔 Comenta ai embaixo 😉


Por hoje é isso, espero que tenham gostado do conteúdo e que a informação tenha sido útil e relevante, buscando informação sobre esse universo somos capazes de escrever nossos próprios passos na caminhada por uma moda mais ética e consciente. Vamos juntes!


Um beijo,

Clara Ramos

21 visualizações0 comentário